• Elisa Lempek

Conflito de casal, quem não tem?


O dia a dia da vida a dois não é um mar de rosas. Há quem diga que, para ser feliz, um casal não deve brigar. Outros, entretanto, dizem que se não houver brigas, o relacionamento não tem graça. O que você pensa a respeito?


Conciliar hábitos e interesses de duas pessoas diferentes, únicas, em uma rotina comum, faz com que, inevitavelmente, ocorram conflitos. O conflito, entendido aqui como uma oposição entre duas pessoas, que gera desentendimentos, ocorre em todos os relacionamentos. É isso mesmo, o conflito faz parte das relações humanas! As discordâncias, entretanto, podem levar ao crescimento, amadurecimento e mudanças ou, por outro lado, há danos à relação, tudo vai depender das estratégias de resolução de conflitos utilizadas. As estratégias são comportamentos adotados com a finalidade de encontrar uma solução para o problema, pressupõem a necessidade de negociação entre os parceiros e são consideradas construtivas ou destrutivas, ou seja, a forma como o conflito é manejado determina seu efeito positivo ou negativo na relação.


As estratégias construtivas envolvem comunicação respeitosa, expressão de emoções e afeto, percepção do conflito como oportunidade de melhorar o relacionamento, clareza sobre a corresponsabilidade dos parceiros, autocontrole, flexibilidade, tolerância e a busca conjunta por uma solução satisfatória para ambos. Já as estratégias destrutivas caracterizam-se pela busca por culpados, foco demasiado no problema, competição, racionalização, evitação do conflito, retraimento, hostilidade, reclamações, rigidez, negatividade e violência (física, psicológica).


É importante saber que os casais oscilam no uso dessas estratégias e que é comum usarem de estratégias destrutivas, eventualmente, sem que isso represente um risco maior à relação quando, ao final do conflito, há uma resolução positiva; pois, os maiores níveis de saúde conjugal são obtidos quando as estratégias construtivas prevalecem!


“Enfrentar os conflitos, buscando constante aprimoramento das estratégias, é um importante diferencial daqueles que acreditam que é possível ser feliz a dois, apesar dos desafios encontrados na vida conjugal”.


Antes de finalizar, eu gostaria de compartilhar algumas dicas para os casais que buscam aprimorar as suas estratégias de resolução de conflitos:


*Comprometam- se a crescer juntos em vez de crescer a parte.


*Vocês crescerão juntos quando focarem na sua evolução pessoal, em vez de desejar que o outro seja perfeito.


*Vejam as diferenças como oportunidades para aprenderem um com o outro.


*Foquem nos pontos fortes de suas diferentes personalidades.


*Evitem culpar e se justificar; foquem em soluções.


*Não espere que o seu parceiro leia a sua mente; compartilhe o que você quer e o porque isso é importante para você.


*Diga ao seu parceiro o quanto você o admira e aprecia suas virtudes.


Por fim, saiba que a Terapia de Casal é um espaço que oportuniza identificar estilos destrutivos de resolver conflitos, assim como a criar alternativas, com possibilidades de construir uma vida a dois com mais saúde conjugal e satisfação. Para saber mais, entre em contato!


Com carinho,

Elisa Lempek


Referência: WAGNER, A.; MOSMANN, C.P.; FALCKE, D. Viver a dois: oportunidades e desafios da conjugalidade. São Leopoldo: Sinodal,2015.

56 visualizações

© 2018 por @lsdesignepapelaria

Seguir

  • Instagram ícone social